Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Governo aprova procedimentos para lares de seniores


sábado, 04 abril 2020

O Governo aprovou esta quinta-feira um despacho que determina os circuitos e procedimentos a adoptar em lares de idosos e equipamentos da Rede Nacional de Cuidados Integrados onde sejam detectados casos de infecção por Covid-19, visando proteger os utentes e trabalhadores.O documento prevê a intervenção articulada das autarquias, da Protecção Civil, das Autoridades de Saúde locais e da Segurança Social de forma a encontrar equipamentos alternativos para alojar pessoas em isolamento profiláctico e/ou em situação de infecção confirmada da Covid-19 que não tenham necessidade de internamento hospitalar.
Nas orientações preventivas, o Governo reforça a realização de teste e isolamento profiláctico para novas entradas, mesmo que o teste dê negativo, indicação que já havia sido dada pela Direcção-Geral de Saúde «quase desde o início da pandemia», tal como recordou ontem, em conferência de imprensa, Graça Freitas. A directora-geral da Saúde disse ainda que a grande preocupação da DGS é, «ao mínimo sintoma isolar, isolar, isolar e depois testar, testar, testar, separando as populações que estão positivas das negativas».
O documento aprovado esta semana determina ainda regras para o funcionamento e organização dos lares, nomeadamente que seja garantido que as camas, cadeirões, cadeiras ou locais onde os utentes se encontram estão a uma distância de, pelo menos, 1,5 a 2 metros. A utilização de espaços comuns deve ser reduzida ou usada por turnos, para que seja mantida a distância e, pelo menos, 1,5 a 2 metros entre os utentes, o horário das refeições deve ser desencontrado, as actividades lúdicas colectivas suspensas, e os utentes devem manter-se nos seus quartos, de preferência, para minimizar o risco de transmissão. Caso a instituição esteja organizada por unidades funcionais ou alas, restringir a circulação dos utentes a esse espaço e isolar, de imediato, qualquer utente com sintomas (febre, tosse, falta de ar) e contactar um médico para avaliação clínica.
No caso dos trabalhadores dos lares, o despacho aponta que devem ser organizados por equipas, sem contacto entre si, com atendimento dedicado a grupos de utentes e, em instituições organizadas por unidades funcionais ou alas, impedir as trocas entre trabalhadores. Os funcionários devem também medir a temperatura e vigiar a tosse e a falta de ar antes do início de cada jornada de trabalho e caso surjam sintomas de doença, o profissional deve ser isolado e deve ser contactada de imediato a Linha SNS 24 e seguir as orientações. As superfícies e os objectos devem ser limpos e desinfectados regularmente e havendo casos suspeitos deve ser avisada a direcção técnica do estabelecimento de apoio social e a autoridade de saúde local. |

Diários Associados