Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Maior envolvência do mundo rural e mais empresas são aspirações para as Festas do Concelho de Ansião


Bruna João Santos / foto: DR quinta, 09 agosto 2018

Diz o ditado que quando Maomé não vai a montanha, vai a montanha a Maomé. Em Ansião não é excepção. Apesar de as Festas do Concelho mostrarem um pouco da identidade do território, há histórias para contar que não chegam a sair dos 'livros'. Por isso, o executivo pretende, "a pouco e pouco", conseguir "uma envolvência maior do mundo rural", ou seja, levar ao recinto das festas um "pouco daquilo que é o território" e dos seus produtos endógenos. António Domingues falava sobre aspirações futuras para o certame e da importância em garantir uma exposição apenas direccionada para os produtos identitários do concelho.
De forma a que o certame seja abrangente e que dê visibilidade ao que se faz no concelho, o presidente da Câmara pretende intensificar a representatividade das empresas. "O meu sonho é que pelo menos 70% das empresas que estão sediadas no Parque Empresarial do Camporês estejam em exposição", acrescentou.
Um programa faz-se com música – "é evidente que um bom cartaz com artistas portugueses atrai muitas pessoas" – mas numa festa tudo conta. O mais importante é, segundo António Domingues, reflectir a dinâmica do território, representada por associações, empresas, juntas de freguesia, e, este ano, com as colectividades, através do cortejo alegórico. 
O local da festa foi alterado para centralizar as atractividades e dar algum 'descanso' à Mata. 

Leia a notícia completa na edição em papel.