Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Viseu na vanguarda do diagnóstico da Covid-19 em saliva


quinta, 30 abril 2020

O projecto ‘CoVTec em Saliva - Diagnóstico da covid-19 em saliva’, coordenado pelo Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde da Universidade Católica (CIIS-SalivaTec) em parceria com o Centro Hospitalar Tondela-Viseu e o Instituto Politécnico de Viseu, foi financiado pelo programa RESEARCH 4 COVID-19 da Fundação para a Ciência e Tecnologia, anunciou ontem a Universidade Católica, explicando que o CoVTec tem como objectivo estabelecer novos protocolos para o diagnóstico da covid-19, utilizando como fluido de diagnóstico a saliva.
Actualmente o método utilizado em Portugal para avaliação da infecção pelo vírus SARS-CoV-2, utiliza amostras retiradas da orofaringe. “Estas colheitas são bastante incómodas e dolorosas para os pacientes, e acarretam risco de contaminação para os profissionais de saúde”, explica o líder do projecto, Nuno Rosa, professor da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade Católica Portuguesa. Nuno Rosa refere ainda que “as vantagens da utilização de saliva como veículo de diagnóstico são imensas”. “A colheita não é incómoda ou dolorosa e pode ser feita pelo próprio paciente. Sendo a recolha de saliva um método não invasivo é melhor aceite em todas as faixas etárias e em populações com fragilidades diversas. Será uma forma de diagnóstico inovadora que trará conforto para o paciente e segurança para todos os envolvidos nos testes”, adianta. As parcerias estabelecidas e as infra-estruturas envolvidas permitem instituir em Viseu uma Plataforma I&DT de apoio ao SNS, para uma resposta mais rápida e eficiente a esta e futuras pandemias, refere a Universidade Católica no mesmo comunicado.
A directora do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde considera que “este projecto é mais uma concretização da missão do CIIS – Investigar Com e Para a Sociedade, que no momento crítico que vivemos com a COVID19, se torna uma necessidade ainda mais premente”. |

Leia a notícia completa na edição em papel.