Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

“Fair-play” de Côco valeu-lhe reprimenda do Futsal de Azeméis


Ana Catelas (texto)/D.R. (foto) quinta, 10 outubro 2019

O cronómetro já contava os últimos segundos da primeira parte quando Nuno Côco tinha tudo para fazer o empate para o Futsal Clube de Azeméis em casa do Belenenses, na última jornada da Liga Placard, mas, na “cara” do guarda-redes, optou por chutar propositadamente a bola para fora das quatro linhas, porque um adversário estava caído no chão e precisava de receber assistência. A atitude deixou todos estupefactos no pavilhão: os adeptos da casa aplaudiram o lance de “fair-play”, mas do lado da própria equipa choveram críticas e o jogador chegou a acreditar que já não ia jogar mais naquele dia.

Alguns dias depois do acontecimento, que levou o jogador e o emblema oliveirense a serem muito falados na comunicação social, Nuno Côco recordou a jogada que, reconhece, podia ter sido motivo para o seu “despedimento” caso o Futsal Clube de Azeméis não tivesse vencido o encontro (2-5). “Não gosto de ganhar a qualquer custo”. Esta foi a primeira declaração do jogador quando a nossa reportagem lhe pediu para recordar o lance que protagonizou no Restelo, no passado sábado. O jogador do Belenenses ficou no chão quando a sua própria equipa partiu para um rápido contra-ataque sem que nenhum companheiro colocasse a bola fora. “Se calhar deviam ter colocado a bola fora, mas se calhar não viram que ele ficou no chão”, defendeu o ala oliveirense.

Leia a notícia completa na edição em papel.