Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

O Diário de Coimbra faz 89 anos


sexta, 24 maio 2019

O Diário de Coimbra assinala hoje 89 anos e publica um suplemento especial dedicado às "profissões". Um trabalho que desfila um conjunto de pessoas com histórias de vida profissional que merecem ser contadas.

Em Editorial publicado hoje, o director do Diário de Coimbra, Adriano Callé Lucas, recorda o orgulho do longo e gratificante percurso iniciado pelo seu Avô, Adriano Viégas da Cunha Lucas (1883-1950), que fundou o jornal em 1930, e depois liderado e desenvolvido pelo seu Pai, Adriano Mário da Cunha Lucas (1925-2011) ao longo de 60 anos, período durante o qual fundou ainda o Diário de Aveiro, Diário de Leiria e Diário de Viseu.

Desde a sua fundação, o Diário de Coimbra, recorda, «assume-se com um jornal republicano e liberal, defensor da Liberdade de Imprensa, da economia de mercado, da regionalização e da plena integração e unificação europeia».

«Quando olhamos para o passado e tentamos perspectivar o futuro, não conseguimos ser muito optimistas. Portugal, passados 45 anos do restabelecimento da democracia, continua um país pouco desenvolvido, excessivamente burocrático, centralista, sem capacidade de se reformar e sem desígnios nacionais, de médio e longo prazo, mobilizadores do desenvolvimento. É confrangedor assistirmos ao debate político em Portugal centrado na "politiquice" barata e no curto prazo», escreve ainda Adriano Callé Lucas.

O director do Diário de Coimbra lembra ainda que «as poucas reformas iniciadas entre nós na legislatura anterior foram entretanto, em grande medida, revertidas (como é o caso do arrendamento urbano). O país continua com uma carga fiscal absurda que penaliza as famílias e as empresas para sustentar uma "máquina" do Estado que não é ágil, útil e nada contribui para uma economia livre e próspera. Antes pelo contrário».

Leia a notícia completa na edição em papel.