Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Falta de fundos ameaça ajuda alimentar a palestinianos


quarta, 08 maio 2019

A ONU alertou hoje que as suas agências que fornecem ajuda alimentar à Faixa de Gaza terão de arranjar dezenas de milhões de dólares nas próximas semanas para evitar cortes significativos nas rações alimentares. O Programa Alimentar Mundial (PAM) e a agência para os refugiados palestinianos, a UNRWA, dão ajuda alimentar a mais de um milhão de pessoas na Faixa de Gaza. Mas o coordenador humanitário da ONU para os territórios palestinianos, Jamie McGoldrick, alertou que as agências enfrentam “uma grave crise de financiamento” e que terão de conseguir angariar dinheiro para poderem encomendar rapidamente os alimentos necessários para o resto do ano.

“Pensamos que se o PAM e a UNRWA não arranjarem cerca de 40 milhões de dólares (35,7 milhões de euros) até ao final de Maio ou início de Junho, será impossível fazer as encomendas”, adiantou McGoldrick num encontro com jornalistas em Genebra.

A UNRWA prepara uma conferência de doadores para o próximo mês e uma outra em Setembro para compensar a retirada em 2018 dos Estados Unidos, que tradicionalmente eram o maior doador.

O ano passado, alguns países aumentaram as suas doações para “tapar o buraco” de cerca de 500 milhões de dólares (cerca de 446 milhões de euros) deixado pela retirada norte-americana, mas McGoldrick reconheceu que este ano o défice é enorme. “É claro que se eles não encontrarem financiamento não poderão encomendar os alimentos”, disse, adiantando que a consequência será, na segunda metade do ano, reduzir o número de pessoas apoiadas ou cortar nas rações, ou ambos.

Em Gaza a taxa de desemprego atinge os 54% e afecta sobretudo os jovens. “Não há alternativa”, sublinhou, qualificando a situação de “muito, muito grave”.