Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

E se os chapéus tivessem cor e mudassem uma cidade


Ana Sofia Pinheiro segunda, 22 abril 2019
Têm sexta-feira no nome, mas é em qualquer dia da semana que trabalham. Têm ideias. Muitas. E boas. Daquelas de colocar as pessoas a olhar para um “céu” colorido em forma de guarda-chuvas. Sim, fomos falar com a Sextafeira Produções para saber o que anda e vai andar por aí, por essas ruas de uma cidade qualquer, em Águeda (claro, porque as ruas de Águeda já não são a mesma coisa sem estes chapéus coloridos) ou em qualquer parte do mundo: desde a França à Suíça, passando pelos Estados Unidos da América, pelo Japão e até ao Bahrein. Estes “chapéus” viajam muito.Falar de guarda-chuvas de várias cores a fazer o “tecto” de uma rua urbana é o mesmo que falar de Sextafeira Produções, a empresa de Águeda que teve esta ideia (brilhante) que tem percorrido o mundo, física e virtualmente. Patrícia Cunha, directora criativa desta agência (na foto), sediada em Águeda, numa casinha   no meio do Jardim Conde de Sucena, não podia estar mais feliz com este “seu” projecto. Um projecto que nasceu de uma ideia de revitalizar o comércio local de uma rua no centro da cidade de Águeda, a Rua Luís de Camões, que havia sido transformada em área pedonal. Estávamos em 2011 e a Sextafeira Produções tinha sido “recrutada” pela Câmara de Águeda para dar vida a essa rua. Feira de artesanato, pequenas instalações artísticas… as ideias iam acontecendo e a dinâmica foi sendo criada. Até que a autarquia desafia a uma decoração da rua mais marcante. E surgem as cores e os chapéus.
Leia a notícia completa na edição em papel.