Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Região Centro acolhe Primeiras Jornadas Ibéricas de Turismo


quarta, 16 janeiro 2019
Potenciar a participação activa das empresas e empresários do sector, promover o turismo interno e aprofundar as relações entre Portugal e Espanha são os três pilares fundamentais das Primeiras Jornadas Ibéricas de Turismo com o tema “Vamos Falar de Turismo Ibérico”,  que vão decorrer nos dias 27 e 28 de Fevereiro, no Grande Hotel do Luso. Quem o diz é Pedro Machado, presidente do Turismo Centro Portugal, entidade que se associou a estas jornadas desde a primeira hora, e que considera de extrema relevância falar no turismo ibérico porque «convém não esquecer que Espanha é o nosso principal mercado externo e que está ao nosso lado o ano inteiro. Em 2018 os espanhóis foram responsáveis por mais de 800 mil dormidas no Centro de Portugal, num total de 6 milhões. Por tal motivo, considero que devemos continuar a tirar partido desta proximidade e por isso nos revemos nestas jornadas». Refira-se ainda que o Turismo Centro de Portugal tem, desde há dois anos, uma relação particular com a  Extremadura Espanhola e por isso estas jornadas «cumprem um triângulo virtuoso: aproximação das empresas espanholas e portuguesas, junção de dois países num só destino e ainda contribuição para o aumento da nossa capacidade turística», afiança Pedro Machado.A ideia para a criação destas jornadas surgiu há cerca de dois anos e ganham agora forma pela mão do Grupo Gala, numa organização conjunta com o Hotel do Luso e os quatro Diários da região: Diário de Coimbra, Diário de Aveiro, Diário de Viseu e Diário de Leiria. Os dois dias de jornadas contam com oito painéis onde mais de duas dezenas de oradores, portugueses e espanhóis, vão abordar temas diversos que, por exemplo,  relacionam o turismo ao ensino, religião e museologia. Com a moderação dos quatro directores dos Diários, estas jornadas apresentam um formato diferenciador e que promove a interacção entre o público e os oradores. «Vão ser dois dias sem rede, isto é, qualquer pessoa que esteja na plateia pode, a qualquer momento, interromper e colocar questões aos oradores convidados», explica Miguel Martins, director-geral do Grupo Gala. Para além disso, e ainda na senda da inovação, a organização está a receber perguntas através das redes sociais que depois serão colocadas aos intervenientes com base no seu interesse e relevância.
Leia a notícia completa na edição em papel.