Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Simulacro de sismo envolveu 860 alunos de escola secundária em Alcobaça


Mário Pinto / foto: Luís Filipe Coito terça, 06 novembro 2018

Eram 11h05, quando o toque da campainha soou no interior da escola-sede do Agrupamento de Escolas de Cister de Alcobaça, dando início ao simulacro ‘A Terra Tre­me’, que ontem decorreu em vários locais do País.
Assim que o toque prolongado da campainha soou, os 30 alunos de uma das turmas do 10.º ano e a professora da disciplina de Economia pararam e de imediato fizeram o primeiro procedimento a executar em situações de um sismo real: colocaram-se debaixo das mesas.  Ao segundo toque da campainha começaram a preparar-se para sair da sala e quando surgiu o terceiro toque a sala foi evacuada. Este foi o procedimento realizado nas 36 turmas dos 10.º, 11.º e 12.º ano daquela escola,  com os alunos a saírem em fila do interior da escola, encostados às paredes, e dirigindo-se para o polivalente descoberto, no exterior. Foi naquele local, devidamente acompanhados pelos directores de turma, que os alunos estiveram concentrados durante mais de meia hora, até terem ordem para regressar às salas de aula e circularem pelo espaço escolar. Este compasso de espera mais prolongado, um procedimento normal em situações semelhantes, deveu-se também ao facto de dois alunos terem ficados retidos no interior de um dos edifícios. Os dois estudantes, que sofreram ferimentos com alguma gravidade (simulados pela acção), foram localizados por um binómio da PSP, socorridos e transportados para o Hospital de Alcobaça pelos Bombeiros Voluntários da cidade. 
Segundo Carlos Guerra, comandante distrital do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria, o simulacro realizado ontem naquele estabelecimento de ensino de Alcobaça serviu para “testar” o plano de emergência existente na escola, mas também “a operacionalidade” de todas as entidades que têm de estar envolvidas em situações de catástrofe - Protecção Civil, Bombeiros, GNR, PSP, Polícia Judiciária, Exército, Emergência Médica, Segurança Social e Turismo Centro Portugal. 

Leia a notícia completa na edição em papel.