Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Luta pela Liberdade de Imprensa tem de ser global


quinta, 07 junho 2018
Maria Ressa, a editora executiva do site Rappler, recebeu ontem o prémio “Golden Pen of Freedom” atribuído pela Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA). A co-fundadora, CEO e editora executiva do site filipino de notícias on-line Rappler emocionou todos os presentes na sessão de abertura do 70.º Congresso daquela associação, que decorre no Estoril, relatando todas as ameaças de que ela e a sua equipa de jornalistas têm vindo a ser alvo nas Filipinas. Ressa deu conta da intensa pressão do governo e dos seus apoiantes que, essencialmente através das redes sociais, perseguem aqueles que noticiam o que verdadeiramente se passa no país. «O meu coração parte-se quando olho para o que os nossos jovens repórteres têm de viver - e a coragem que demonstram diante da força bruta e da impunidade... o respeito que continuam a mostrar às autoridades, os pesadelos com os quais lutam à noite, a missão que vive dentro eles», disse Maria Ressa, entre lágrimas, ao mesmo tempo que a assistência se levantava num sentido aplauso. O Rappler enfrenta uma série de processos judiciais, inspecções fiscais e investigações administrativas que foram instauradas por agências governamentais filipinas com o intuito de calar aquela voz incómoda. Algo que Ressa garantiu que jamais irá acontecer. Dave Callaway, presidente do World Editors Forum, justificou a entrega da distinção com o profissionalismo e credibilidade de Ressa e da sua equipa. «Eles não desistiram de denunciar publicamente as políticas ou o ódio que surgiram como resultado do seu trabalho», afirmou o norte-americano, sublinhando o simbolismo do “Golden Pen”, na luta face aos que atentam contra a Liberdade de Imprensa. Adriano Lucas homenageado A sessão de abertura do congresso prestou também tributo ao fundador da WAN-IFRA, Claude Bellanger, tendo sido destacado o seu papel na criação da FIEJ (Federação Internacional de Editores de Jornais) que daria mais tarde lugar à WAN-IFRA. Também Adriano Lucas, director in memoriam do Diário de Coimbra, foi alvo de uma homenagem por ter sido o primeiro português a associar-se à FIEJ. Entre as várias intervenções desta sessão, foi sublinhada a importância da Liberdade de Imprensa, que continua a ser alvo de grandes ataques, quer através da perseguição e morte de jornalistas, quer da profusão das chamadas “notícias falsas” difundidas pelas redes sociais.
Leia a notícia completa na edição em papel.