Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

A ocupação do território entrou no debate político


João Peixinho domingo, 22 abril 2018
Realiza-se nos “próximos dias” a primeira reunião do grupo de trabalho constituído pelos partidos com representação na Assembleia Municipal de Aveiro – PSD, CDS, PS, PCP, PAN e BE para acompanhar a revisão do Plano Director Municipal (PDM) e, antecedendo a nova fase da participação da oposição no debate deste instrumento que gere a ocupação do território, o socialista Fernando Nogueira já disse que será “difícil ter uma discussão rica” considerando o “nível de informação” acessível. Contudo, segundo o presidente da Câmara, Ribau Esteves, “há muita informação no site da Câmara”, disse a abrir a reunião da Assembleia da passada sexta-feira à noite. Antes do início dos encontros da maioria PSD-CDS com os partidos da oposição sobre a revisão do PDM que já se encontra em curso, Ribau Esteves avisou que “não há tempo e disponibilidade para opinar sobre tudo”. Por isso, será preciso definir “o que o grupo de trabalho quer fazer”. Fernando Nogueira criticou, ainda, o plano estratégico da autarquia que é “pobre” e tem “fragilidades” e a informação disponível. “Pouco mais do que já sabíamos”, disse e Ribau Esteves apelou a uma “atitude e propositura positivas” mas as críticas continuaram durante a reunião da Assembleia, com António Neto, do Bloco de Esquerda que registou, “23 anos de perda de tempo, promiscuidade e um conceito caótico nas freguesias”. Henrique Diz, da bancada do PSD, disse que tem uma “enorme confiança” na comissão de acompanhamento (grupo de trabalho). Foram vários os deputados municipais que se inscreveram para uma intervenção mas prescindiram de o fazer e também por isso, Ribau Esteves disse que “estava à espera de um debate cheio de perguntas” sobre o que definiu como um “dossier de capital importância em 2018”.
Leia a notícia completa na edição em papel.