Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Oliveirense vai jogar em casa emprestada na próxima época


Ana Catelas (texto)/D.R. (foto) quinta, 25 maio 2017

A Oliveirense, que este ano está de regresso à II Liga, não vai poder jogar no Estádio Carlos Osório, pelo menos os primeiros jogos da temporada 2017/2018. Isto porque o clube está obrigado a realizar obras de melhoramentos na infra-estrutura, de acordo com as exigências da Liga de Clubes, e as mesmas não estarão concluídas até ao arranque da próxima época, que será a meados de Julho, com a Taça da Liga. Recorde-se que o Estádio Carlos Osório tem cerca de 1.200 lugares sentados, mas a Liga de Clube obriga a um mínimo de 2500 lugares.

A construção de uma nova bancada, colocação de torres de iluminação e torniquetes, balneários maiores e uma sala de impren­sa fora da zona técnica são algumas das obras exigidas para que a Oliveirense volte a jogar em casa. A solução pode passar pelos estádios municipais de Aveiro ou de Águeda. A construção de um novo recinto, há muito falada por Oliveira de Azeméis, parece estar cada vez mais fora de hipóteses. “Construir um estádio novo demora mais do que um ano e nós não temos condições para andar tanto tempo a jogar fora. Com uma reestruturação neste conseguimos fazer um estádio para cinco mil pessoas e sai mais barato do que construir um novo”, defendeu Horácio Bastos.

Leia a notícia completa na edição em papel.