Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Diário de Coimbra celebra hoje 87 anos


quarta, 24 maio 2017
Foi a 24 de Maio de 1930 que o primeiro número do Diário de Coimbra chegou às mãos dos seus leitores. Há precisamente 87 anos. Por isso, o director Adriano Callé Lucas fala numa data que “muito orgulha todos quantos contribuíram para a publicação destas mais de 29 mil edições”. Em editorial, o director do Diário de Coimbra agradece o contributo de todos os profissionais e colaboradores e a preferência dos leitores e dos anunciantes, que fazem do Diário de Coimbra “o mais antigo jornal diário, em Portugal, que continua fiel à linha editorial e aos valores que presidiram à sua fundação, mantendo-se sob a orientação da família do seu fundador”. Adriano Callé Lucas constata, por outro lado, os dias “de grande inquietude” que vivemos, no país e no mundo. “Toda a indefinição relacionada com o Brexit, com a nova administração norte-americana, a crescente tensão na península coreana, a falta de soluções para os vários conflitos no Médio Oriente, os populismos nacionalistas de extrema esquerda e de extrema direita em vários países, com o terrorismo, deixam-nos a todos em alerta constante”, observa, destacando, em sinal contrário, “a vitória, nas presidenciais francesas, de Emmanuel Macron. Um “jovem” da política que venceu com um programa de reformas liberais que, a concretizar-se, vai ajudar a França mas também a União Europeia”. Quanto a Portugal, continua “a adiar essas reformas estruturais”. O director do Diário de Coimbra diz ser “um facto bem positivo o país ter conseguido reduzir o deficit e crescer graças, principalmente, à inesperada explosão do turismo, que tem permitido também recuperar muitos edifícios que se encontravam arruinados ou abandonados nos centros históricos”. Contudo, “o país mantém-se centralista, gasta mal os seus parcos recursos e tem um nível de burocracia incompatível com a livre iniciativa”.