Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Diretor: 
Adriano Callé Lucas

Figueiró dos Vinhos aprova incentivos à fixação de médicos no concelho


Texto: Lusa/Foto: DR Quinta, 04 de Abril de 2024

A Câmara de Figueiró dos Vinhos aprovou incentivos à fixação de médicos de família no concelho, que incluem apoios ao alojamento ou à deslocação, disse o presidente daquele autarquia do norte do distrito.
Segundo Jorge Abreu, no caso de arrendamento, o subsídio de alojamento é no máximo de 400 euros mensais.
Já na aquisição ou construção de habitação própria e permanente, o subsídio é no valor correspondente à prestação mensal do crédito à habitação até ao montante máximo de 500 euros.
Quanto ao subsídio de deslocação para médicos que residam fora do concelho, estes variam entre 150 euros mensais (até 25 quilómetros/dia) e os 500 euros mensais (superior a 50 quilómetros/dia).
Outros dos apoios contemplados no projeto de Regulamento Municipal de Atribuição de Incentivos à Fixação de Médicos na Unidade de Saúde Familiar (USF) do concelho passam, por exemplo, pelo acesso gratuito a equipamentos desportivos ou a iniciativas culturais promovidas pelo município. “Pretendemos criar algum incentivo para que os médicos possam, essencialmente, fixar-se aqui no concelho”, afirmou à agência Lusa Jorge Abreu, acreditando que “poderá, assim, tornar mais fácil ou mais apetecível quem concorre fixar-se nesta região”.
O autarca explicou que a Unidade Local de Saúde (ULS) de Coimbra, da qual faz parte Figueiró dos Vinhos, “está também a equacionar fazer um regulamento que seja transversal a todos os concelhos, para que não haja desigualdades”.
“Se assim for, o nosso regulamento prevê que poderá ser suspenso e prevalecer o da ULS, se vier a concretizar-se, para não criar desigualdades dentro dos vários municípios”, declarou, assegurando que, “para já, pelo sim, pelo não”, a autarquia avança com um regulamento próprio.
Reconhecendo que há falta de médicos e “muito mais no Interior” do país, o autarca realçou que o objetivo do regulamento é “criar condições para que não faltem médicos nesta região”, nomeadamente no concelho de Figueiró dos Vinhos.
De acordo com o autarca, o facto de a USF ter passado a modelo B “é uma vantagem para quem cá trabalha, mas também para a população”, pois “aumenta o número de utentes por médico, o que, logicamente, diminui a quantidade de médicos necessários”, embora haja uma “sobrecarga” para os clínicos, mas com “contrapartidas financeiras”.
“Neste momento, há situações muito piores noutros concelhos”, disse, quando questionado sobre a falta de médicos em Figueiró dos Vinhos, ressalvando que com o regulamento a Câmara está, “atempadamente, a criar condições” para não ocorrer uma “situação de rutura”.
A este propósito, lembrou que há médicos quase a atingir a idade para se reformarem.
“Estamos já a precaver o futuro, ou seja, a criar incentivos” para que a substituição desses clínicos seja apelativa para outros, acrescentou o presidente do município.
Jorge Abreu esclareceu que o regulamento, após ter sido aprovado por unanimidade em reunião do executivo municipal no mês passado, vai ser submetido a reunião da Assembleia Municipal ainda em abril.
Se for aprovado, o autarca admitiu que possa entrar em vigor já no próximo mês de maio.


Suplementos


Edição de Hoje, Jornal, Jornais, Notícia, Diário de Coimbra, Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu