Aveiro: Mudança do comando da PSP não é pacífica

Nem todos os deputados da Assembleia Municipal partilham da opinião do presidente da Câmara sobre a mudança do Comando Distrital de Polícia de Aveiro

Jornalista: 
João Peixinho
Autor da Imagem: 
Arquivo

Na Assembleia Municipal não é totalmente pacífica a mudança do Comando Distrital de Polícia de Aveiro do edifício do Griné para o edifício do extinto Governo Civil, na Praça Marquês de Pombal, embora para o presidente da Câmara esta seja uma boa notícia.
Para Élio Maia é um contributo para “melhorar e reforçar a segurança dos cidadãos”, mas para Carlos Barros, líder da bancada do CDS-PP, um dos partidos da coligação da maioria, a Câmara “deveria insurgir-se contra a mudança do comando”.

Na sequência de uma intervenção de Ana Maria Seiça Neves, do PS, o edifício devia receber o Tribunal do Trabalho. Este tribunal a funcionar num apartamento da Av. Lourenço Peixinho “é escandaloso”, admitindo que as duas instituições possam coabitar no mesmo edifício. Para a socialista, dada a situação em que se encontra a funcionar aquele Tribunal, agora era uma boa altura de passar para o edifício do Governo Civil. “Estamos a deixar passar e corremos o risco do Tribunal de Trabalho ir para Vagos”, referiu.

Ler notícia completa na edição em papel