Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Plataforma “Viseu Compr’Aqui” ajuda comércio local a vender na internet


quinta, 04 junho 2020

O Município de Viseu lançou ontem, em parceria com os CTT, a Viseu Marca, a Associação Comercial do Distrito de Viseu (ACDV) e a AHRESP, o projecto ‘Viseu Compr’Aqui’, que visa apoiar a digitalização do comércio tradicional, permitindo que os empresários locais vendam numa plataforma digital os seus produtos, combatendo assim a crise causa pela pandemia da covid-19.
A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, presidiu à cerimónia e destacou a importância do projecto, numa altura em que os consumidores alteraram os seus hábitos e procuram cada vez mais produtos regionais e de qualidade. “Somos excelentes produtores, mas péssimos vendedores”, sublinhou, lembrando que quem produz muitas vezes ficava dependente dos distribuidores. Com este projecto, os produtores passam a estar mais próximos dos clientes. A governante elogiou ainda a componente da capacitação dos comerciantes, já que a Câmara de Viseu irá disponibilizar uma equipa, instalada no Mercado 2 de Maio, para ajudar os empresários com mais dificuldades a aderirem ao projecto e a disponibilizarem os seus produtos.
Jorge Loureiro, vice-presidente da AHRESP, também destacou o trabalho de promoção e marketing com o qual a autarquia se comprometeu, sublinhando que não basta criar apenas uma plataforma, mas também mostrar que ela existe e angariar comerciantes dispostos a aderir.
O presidente da ACDV, Gualter Mirandez, admitiu que a tarefa mais complicada será a de convencer os comerciantes a aderir à plataforma, explicando que se trata de algo que a associação tenta fazer há vários anos.
O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, assegurou que o projecto não é passageiro e que será aproveitado para promover o território e chamar as pessoas a Viseu e à região.
João Bento, presidente dos CTT, referiu que o projecto visa apoiar o sector comercial que estava menos preparado para a digitalização, considerada essencial numa altura em que a pandemia levou a uma quebra abrupta no negócio tradicional, ao encurtar as cadeias de comercialização.
A aplicação, que em breve estará disponível, tendo em conta que, para já decorre a fase de adesão por parte dos comerciantes, permitirá ao consumidor, através do telemóvel e tendo em conta a sua localização, ver que comerciantes e produtores da região estão presentes na aplicação, entrar em cada uma das lojas, efectuar as compras e pagar através de MB Way, cartão de crédito ou cartão de débito.