Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

“Esta decisão maltrata os territórios do Interior”


José Fonseca quarta, 03 junho 2020

O Município de Viseu mostrou-se ontem “surpreendido” com o anúncio público do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), de mudar o helicóptero actualmente estacionado no Aeródromo Municipal Gonçalves Lobato, para o Heliporto de Salemas, em Loures.
Em comunicado, a autarquia refere que “esta decisão maltrata, mais uma vez, os territórios do Interior, afastando este importante meio do seu âmbito de acção”, sublinhando que, “a par disso, a região de Viseu perde também as equipas e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação que estavam afectas à aeronave”.
No mesmo documento, o Município de Viseu “estranha e lamenta o facto de ter tido conhecimento desta decisão através da comunicação social”, recordando que foi o presidente do INEM, que, em Outubro do ano passado, solicitou à autarquia a permanência do helicóptero no aeródromo de Viseu, devido a inoperacionalidade do heliporto de Santa Comba Dão.
“O Município de Viseu acedeu a este pedido, não só pelo facto do nosso aeródromo reunir as condições necessárias para o satisfazer, mas também para, desta forma, garantir que a aeronave permanecia na região de Viseu. O presidente do município deixou bem claro, desde o início, que nada fizera para ter o helicóptero em Viseu, assim como nada faria para que o mesmo não regressasse a Santa Comba Dão, logo que e se as condições o permitissem. Viseu apenas e só defendeu os interesses da região, mantendo uma aeronave fundamental no socorro às populações”, explica a autarquia viseense no comunicado.
Considera ainda estranha a decisão de deslocalizar a aeronave, amanhã, para Loures, quando, tal como o nosso Jornal noticiou ontem, o INEM refere que essa é uma solução temporária, até que o heliporto de Santa Comba Dão esteja certificado.
O Município de Viseu finaliza o comunicado adiantando que “repudia a saída deste importante meio de emergência médica da região, constatando e lamentando os argumentos pouco sólidos que estão na base desta decisão”. |