Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Medidas de segurança adicionais não podem ser descuradas por uso de máscara


terça, 05 maio 2020

As medidas preventivas como a higiene das mãos, a etiqueta respiratória e o distanciamento social não podem ser descuradas pela obrigatoriedade do uso de máscara, reforçou ontem a directora-geral da Saúde.
“Há um grupo de medidas que nós vamos ter de continuar a observar, independentemente do uso de máscaras, ou de viseiras, ou de outros materiais que façam barreira entre as vias respiratórias de uma pessoa”, sublinhou Graça Freitas durante a conferência de imprensa de actualização diária de informação sobre a pandemia da covid-19.
Essas medidas, referiu, dizem respeito às regras de higiene das mãos, à etiqueta respiratória e ao distanciamento social, que continua a ser aconselhado. Graça Freitas sublinhou ainda que as viseiras de proteção facial não dispensam a utilização de máscara, considerando que, apesar da sua utilidade, devem sempre ser complementadas por um “método de barreira que permita tapar a boca e o nariz”. “(A viseira) protege muito bem os olhos, protege muito bem o nariz, mas já não protege tão bem, porque é aberta em baixo, gotículas expelidas através do espirro, da tosse, ou mesmo da fala”, explicou a directora-geral.
Desde domingo que é obrigatório o uso de máscaras comunitárias em espaços onde exista maior concentração de pessoas, caso dos transportes públicos, dos estabelecimentos comerciais e das escolas.
No entanto, a directora-geral apelou para uma atenção particular no uso das máscaras, afirmando: “Usar máscara quando está indicado sim, mas usá-la com muita precaução para não a conspurcar demasiado, ou não a conspurcar de todo”. |

Leia a notícia completa na edição em papel.