Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

População denuncia descargas ilegais na Ribeira da Pantanha


quinta, 09 abril 2020

Num comunicado enviado aos órgãos de comunicação social, a CDU alerta para o que diz ser “um atentado ambiental que continua a verificar-se na Ribeira da Pantanha”. “Esta semana a população de Canas de Senhorim detectou e denunciou à CDU (PCP-PEV) o atentado ambiental que continua a verificar-se na Ribeira da Pantanha, que desagua no Mondego, junto às Caldas da Felgueira”, alerta.
De acordo com o comunicado, “este curso de água encontrava-se mais uma vez com um manto de espuma branca que cobria toda a superfície da água, ocorrência igual às muitas situações sucessivamente denunciadas pela CDU nos últimos anos, que estão sobretudo correlacionadas com as descargas de efluentes industriais pela empresa Borgstena”.
A CDU alerta ainda que devido ao “desvio da atenção para a Covid-19 e o confinamento dos cidadãos às suas habitações, garantindo o isolamento social, torna-se mais difícil detectar as ocorrências e os atentados ambientais, em particular sobre os recursos hídricos”.
Na mesma nota enviada pela coligação, pode ler-se que “em 2015, em consequência do agravamento das descargas na Ribeira da Pantanha, a autarquia e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) encontraram uma solução transitória, até à conclusão da ETAR Nelas III, para minimizar os impactos das descargas de águas residuais resultantes da laboração desta unidade fabril, com a emissão de uma licença provisória, mediante a aplicação de um conjunto de medidas por parte da empresa, nomeadamente a construção de uma ETAR para o pré-tratamento dos efluentes produzidos e a adição de anti-espuma”.
Contudo, a CDU diz que “pelo que se tem constatado estas medidas provisórias ou não foram executadas ou não estão a sortir efeito”.
Explica, ainda que no seu entender, “a solução para esta e outras descargas de efluentes industriais e domésticos passa, indubitavelmente pela ETAR de Nelas III, que tarda em entrar em funcionamento. Com conclusão prevista para o final de 2018, findo o primeiro trimestre de 2020 continua por construir e sem uma data credível para a conclusão das obras”, refere.
Na mesma nota, a CDU apela à Câmara Municipal de Nelas que conclua a ETAR Nelas III e os respectivos interceptores de forma evitar a poluição dos cursos de água salvaguardando o ambiente e a própria saúde pública.

Diários Associados