Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Utentes de lar têm actividades através de aulas gravadas


quinta, 09 abril 2020

Os cerca de 50 utentes que estão no lar no Centro Social Paroquial de Rio de Loba continuam a usufruir das suas aulas, mas de uma forma segura. Com o objectivo a garantir a segurança total dos seus utentes, face à covid-19, a IPSS implementou uma sistema de realização de actividades sócio-educativas, pedagógicas e de animação através da gravação das aulas que são visionadas na televisão da instituição. A ideia surgiu da técnica superior de educação social, Vanda Rodrigues, que trabalha com a animadora Ana Sousa, e “tem como objectivo continuar a promover o envelhecimento activo através da actividade física, cognitiva e emocional, manter a autonomia, e ajudar a manter saudável a saúde mental para que casos de ansiedade ou pânico não se manifestem, resguardando ao máximo os idosos”. “Quando realizámos o nosso plano de contingência começámos a antecipar o que era importante de forma a prevenir um possível contágio. A ginástica foi suspensa e a aula de musico-terapia também. Por isso quisemos manter as outras actividades para que eles pudessem continuar activos”, explica Vanda Rodrigues, técnica superior de Educação Social.
Os vídeos são gravados pelas responsáveis e editados para posteriormente serem colocados na instituição para os utentes os visualizarem. Estes continuam a ser exibidos na sala de convívio, de manhã e de tarde, onde os utentes, afastados uns dos outros conseguem fazer cada um a sua actividade. São assim estimulados, fisicamente e cognitivamente, através de aulas de ginástica, literatura, música, espectáculos, yoga, declamação de poesia, cinema, arte, entre outras. “Eles têm adorado, até porque os conhecemos muito bem e mesmo nos vídeos dizemos os nomes deles e puxamos por eles. Cada um tem o seu próprio material e quando é preciso mais algum as colegas do lar providenciam para que possam fazer as actividades”, realça.
As responsáveis têm ainda um feedback de como vão correndo as aulas. “As colegas fotografam e conseguimos ver o impacto que as aulas estão a ter e se as actividades estão a ter o resultado esperado”, explica.
“Continuar a estimula-los e a mantê-los activos é muito importante para o bem-estar deles, tanto fisicamente como para a sua saúde mental. Esperemos que esta iniciativa se alargue a mais instituições”, apela.

Animadoras ajudam
a falar com a família
Como as visitas estão proibidas, todos os dias, alternadamente as duas responsáveis se deslocam à instituição para que os utentes possam falar com a família, via Skype. “Os familiares agendam a hora e nós promovemos esse encontro. Isto tem sido muito bom para eles e para a sua auto-estima porque eles não podem receber visitas”, conclui Vanda Rodrigues. |

Diários Associados