Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Região Centro mantém maior taxa de mortalidade


quarta, 08 abril 2020

A região Centro continua a registar a maior taxa de mortalidade do país por Covid-19, comparada com as regiões Norte e Lisboa e Vale do Tejo. Esta constatação resulta da análise aos números divulgados ontem pela Direcção-Geral de Saúde (DGS) no boletim da Situação Epidemiológica em Portugal.

Apesar de ser no Norte do país que há mais casos de infectados por Covid-19 (7.052) e mais mortes (186), com uma taxa de mortalidade de 2,63%, é no Centro do país que a taxa de mortalidade estava ontem muito próxima dos 5%, com 1.766 pessoas infectadas (mais 245 que no dia anterior) e 88 mortes por Covid-19 (mais 12), o que revela uma taxa de mortalidade de 4.98%. Na região de Lisboa e Vale do Tejo era de 2% com 3.185 casos positivos e 64 mortes registadas. No Algarve, e comparando com as taxas de mortalidade referentes ao relatório de quinta-feira, 2 de Abril, o número de mortes aumentou de 3 para 7 e são agora 234 as pessoas infectadas, quando a 2 de Abril eram 164. Desta forma, a taxa de mortalidade que era nesse dia de 1,8% subiu para os 2,99% colocando o Algarve à frente de Lisboa e Vale do Tejo.

Olhando em pormenor para a Região de Coimbra, o documento da DGS revela aumento de casos infectados no concelho de Coimbra (233), no concelho de Condeixa-a-Nova (36), na Mealhada (10) , Penacova (8) e Miranda do Corvo (7).

Em Portugal, do relatório da situação epidemiológica, ressalva-se a subida do número de pessoas que recuperaram da doença: são agora 184, mais 44 do que no dia anterior, um aumento significativo quando comparado com 2 de Abril, dia em que eram apenas 68 o número de pessoas recuperadas da Covid-19.

Segundo este mesmo balanço feito ontem pela Direcção-Geral da Saúde, registaram--se, ao todo, 345 óbitos, mais 34 do que na segunda-feira (um aumento de 11%). Destes, 219 tinham mais de 80 anos, 78 tinham entre os 70 e os 79 anos, 35 entre os 60 e os 69 anos de idade, nove entre os 50 e os 59 anos e quatro óbitos entre os 40 aos 49 anos. Quanto ao caso de infectados, eram ontem 12.442, o que representa um aumento de 712 em relação à véspera e uma subida de 6,1% face aos números de segunda-feira. Do total de casos confirmados, a grande maioria (11.262) está a recuperar em casa, 1.180 (mais 81) estão internados e 271 (mais um) estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

Diários Associados