Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Covid-19: Vinte e cinco utentes e nove trabalhadores de lar em Alvaiázere estão infectados


Legenda: Lar tem 27 utentes e 17 trabalhadores (foto: DR) quinta, 02 abril 2020

Vinte e cinco dos 27 utentes de um lar em Alvaiázere estão infectados com a Covid-19, assim como nove dos 17 trabalhadores, anunciou ontem o município.
“Dos 44 testes efectuados a utentes e colaboradores da instituição, determinou-se a infecção de 25 idosos (registando-se que apenas dois a­presentaram testes negativos) e de nove colaboradores, de um total de 17”, informa a Câmara, numa nota de imprensa, revelando que os resultados dos testes efectuados na sexta-feira foram conhecidos ontem.
O município de Alvaiázere acrescenta que procedeu à activação do Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil, “depois de se detectar uma infecção generalizada no lar ‘Solar Dona Maria’, no lugar de Carvalhal, freguesia de Maçãs de Dona Maria, diagnosticada após os resultados dos testes promovidos pela autarquia e cujos resultados foram remetidos para as autoridades de saúde”, refere a nota.
Com vista a “atenuar os impactos inevitáveis deste surto, aparentemente ainda localizado”, a autarquia liderada por Célia Marques garantiu a prestação de serviços de enfermagem, “para assegurar os devidos cuidados aos utentes da instituição, agradecendo-se, desde já, a todos os enfermeiros que se disponibilizaram para este efeito”.
Foi ainda cedido equipamento de protecção individual a todos os profissionais da instituição, de forma a assegurar a sua segurança, e foram efectuados contactos com a ACREDEM - Associação Social Cultural, Recreativa e Desportiva de Maçãs de Dona Maria para garantir as refeições a todos os utentes do lar.
A Câmara Municipal de Alvaiázere disponibilizou também alojamento para utentes e profissionais e instalou um hospital de campanha no Pavilhão Desportivo de Alvaiázere, com 30 camas, 20 das quais articuladas, com condições de conforto e salubridade, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia e de várias instituições particulares de solidariedade social.
A autarquia recomenda a “adopção de todas as práticas com vista à redução da propagação da doença, sendo de especial importância o isolamento social de todos os cidadãos, podendo estes aceder aos serviços de abastecimento de alimentos e de medicamentos, que estão a ser promovidos pelas juntas de freguesia e pelo município”.