Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Autarquias criam banco de voluntariado para ajudar pessoas mais vulneráveis


quarta, 01 abril 2020

São Pedro do Sul, Tabuaço e Lamego estão a criar um banco de voluntariado para ajudar os munícipes que estão em isolamento social por causa da pandemia da covid-19.
“O município está a criar um banco de voluntariado, para ajudar quem mais precisa durante a pandemia da covid-19, num gesto de solidariedade e de cidadania, onde o presidente da câmara [de São Pedro do Sul], Vítor Figueiredo, e a vereadora Teresa Sobrinho já estão inscritos”, explica a autarquia em comunicado.
A autarquia adianta que “os voluntários serão encaminhados conforme a sua disponibilidade e as necessidades registadas no concelho, nomeadamente no apoio aos munícipes em situação de isolamento social ou nas Instituições Particulares de Solidariedade Social”.
Num apelo semelhante, a Câmara Municipal de Tabuaço publicou também o link deste projecto, na sua página do Facebook, onde os cidadãos interessados se devem inscrever.
O município de Lamego também já criou uma bolsa de voluntariado aberta a todos os munícipes que estejam disponíveis para ajudar os outros durante a pandemia da covid-19 e que tem como principais pressupostos a solidariedade e a cidadania.
"Após a recolha de candidaturas e a avaliação do perfil do candidato a voluntariado, a autarquia, enquanto entidade coordenadora, encaminhará os cidadãos para as instituições e entidades, públicas e privadas", explica.
A iniciativa será dinamizada por uma plataforma digital e a bolsa de voluntariado integra o “Lamego Ajuda”, um programa especial de auxílio e protecção às pessoas mais vulneráveis, em particular a população idosa, devido à actual ameaça à saúde pública.
Também a Câmara Municipal de Viseu já tem implementada, há mais de uma semana, a Linha Municipal de Emergência Social VISEU AJUDA, através do número 800 210 098 ou do email [email protected]
Esta iniciativa destina-se a pessoas e famílias residentes no concelho, carenciadas, em isolamento, mobilidade reduzida ou outra situação de emergência social, que necessitem de uma resposta imediata para um conjunto de bens e serviços básicos, urgentes e inadiáveis.
A mesma ideia foi ainda concretizada pelo município de Sernancelhe, que criou uma linha de apoio à comunidade, através dos números 254598300 e 967250208.