Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Viseense fabricou 60 pares de tapa-sapatos e caneleiras


terça, 31 março 2020

Isabel Esteves, residente em Tondelinha, usou os seus dotes para a costura para ajudar aqueles que combatem o Covid-19 na linha da frente, ou seja os profissionais de saúde do Hospital São Teotónio de Viseu.
Em tempo de pandemia, como aquele que atravessamos neste momento, toda a ajuda é pouca e Isabel Esteves nem pensou duas vezes quando a proposta surgiu. “O meu amigo António Carlos, que é daqui da minha aldeia, abordou-me e disse que tinha um tecido. Propôs-me costurar peças para serem doadas ao Hospital do Viseu. Foram feitos testes ao tecido e comprovou-se que dava para fazer tapa sapatos e caneleiras, então costurei as peças”, explica.
Esta iniciativa resulta de um pedido que surgiu de uma profissional de saúde, através de um grupo criado no Facebook, no âmbito do Covid-19, e ao qual António Carlos deu resposta. Apesar de inicialmente se ter estudado a hipótese de serem feitas máscaras, percebeu-se que o tecido não era apropriado para esta finalidade. Contudo, veio a ser igualmente importante, para a criação de tapa sapatos e caneleiras. Depois de ter sido aprovado pelos profissionais, Isabel Esteves deitou mãos a obra e costurou 60 pares, num só dia, aproveitando desta forma todo o material que dispunha. “Tinha uma peça que usei para fazer os moldes. Tiveram de ser cortados um a um, porque não tenho máquina industrial”, conta.
Esta aptidão para a costura vem desde tenra idade e Isabel Esteves consolidou-a quando trabalhou numa fábrica de costura, durante 18 anos. Agora é doméstica e é em casa que faz pequenos arranjos para a família e amigos, sem cobrar nada a ninguém, porque diz que o faz por gosto.
Também nesta fase crítica diz estar disponível para continuar a ajudar. “É pena não haver mais tecido para costurar peças, mas estou sempre disponível para fazer mais. Se todos ajudassem, um pouco que fosse, já era muito bom”, realça.
Nestes dias, em que face à situação actual o mais aconselhável é ficar em casa para conter o vírus, a família tem sido uma grande ajuda para Isabel Esteves já que vive porta com porta com familiares, o que tem sido essencial para a ajudar a ultrapassar esta fase.