Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Autarca apela para que sejam feitos mais testes


José Fonseca segunda, 30 março 2020

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, recorreu às redes sociais para lamentar que as autoridades de saúde não estejam a aproveitar ao máximo o o centro de rastreio que foi instalado na semana passada no Pavilhão Multiusos.
“A Organização Mundial de Saúde e a Direcção-Geral de Saúde portuguesa são muito claras quando afirmam que uma das armas mais poderosas e eficazes contra a crise da pandemia são os testes de coronavírus (Covid-19). As palavras de ordem têm sido (e estou a citar): ‘Testes, testes, testes’. Se não conhecermos onde estão os focos de infecção e quem está infectado, nunca travaremos este inimigo invisível. Foi precisamente por isso que me coloquei no terreno para criar as condições de instalação em Viseu de um centro de triagem, no Multiusos de Viseu, com um dos laboratórios mais robustos e reconhecido”, começa por adiantar o autarca, explicando que “ao fim de quatro dias, com uma capacidade de 400 testes, só 100 foram realizados (parte dos quais, por iniciativa de particulares)”. Revela ainda que, entretanto, “outro laboratório começou também a disponibilizar este serviço em Viseu. Disponibilidade que também não está a ser aproveitada”.
Almeida Henriques lembra que, “desde dia 26 de Março que, uma vez na fase de mitigação, a Direcção-Geral de Saúde emitiu orientações para reforçar e generalizar os testes para as pessoas que apresentem um dos sintomas listados para Covid-19”. “Esperava-se, por isso, que as autoridades de saúde regionais e locais actuassem em conformidade com estas orientações e com esta estratégia.

“Não podemos esperar”
Enquanto responsável máximo da Protecção Civil municipal, entendo que não podemos permanecer passivos. Que não podemos esperar mais. Não podemos esperar para que a crise se agrave ou que transforme a nossa vida numa hemorragia lenta. Apelo às autoridades de saúde para que ponham de parte burocracias inúteis e que tirem partido da capacidade de testes instalada em Viseu. Os viseenses esperam isso e merecem isso”, sublinha.
“Não posso ser complacente com esta situação. Que o Agrupamento de Centros de Saúde de Viseu Dão Lafões utilize a sua autonomia e não se deixe travar pela inércia da Administração Regional de Saúde do Centro, é o que espero”, finaliza. 

Leia a notícia completa na edição em papel.