Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Rui Rio acusa Costa de golpe de teatro


segunda, 06 maio 2019
O PSD vai «manter coerentemente as suas posições sem alteração» sobre o diploma dos professores e apresentar em plenário «a inclusão de propostas de salvaguarda financeira», que o PS rejeitou na Comissão de Educação, disse ontem o líder do partido. Numa declaração à imprensa num hotel do Porto, o presidente do PSD, Rui Rio, acusou o primeiro-ministro de «vitimização» e de criar um «papão de orgia orçamental» no caso da contagem do tempo de serviço congelado aos professores para «perturbar a campanha das europeias».«O travão financeiro, que a proposta do PSD contém para evitar o papão da orgia orçamental com que o Governo hipocritamente acena, foi reprovado com os votos irresponsáveis dos deputados do PS. Vamos propor no plenário a inclusão das propostas de salvaguarda que fizemos na comissão e que o PS incoerentemente rejeitou», afirmou. Para o líder do PSD, «fica nas mãos do Governo decidir cumprir a legislatura ou criar a instabilidade gratuita, fugindo às responsabilidades com base em argumentos inexistentes». «Se o Governo e o PS persistirem em recusar a salvaguarda, o PSD não poderá votar favoravelmente o diploma», anunciou. Nesse caso, garantiu, «o PSD assumirá no seu programa eleitoral exactamente o mesmo compromisso da proposta feita na Assembleia da República». «Se o Governo e o PS estiverem de boa-fé, terão a oportunidade de recuar, votando a favor» das propostas do PSD, acrescentou. «Se o PS votar contra, ficará ainda mais a nu a hipocrisia e a farsa que o líder socialista montou», afirmou, numa declaração sem direito a perguntas.
Leia a notícia completa na edição em papel.