Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

Obras no Conservatório só depois de 2020 e com fundos europeus


João Peixinho sexta, 12 outubro 2018
A qualificação do Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian é uma obra a candidatar ao próximo quadro comunitário de fundos comunitários após 2020, disse ao Diário de Aveiro o presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Ribau Esteves. A obra será considerada “uma das prioridades” dos projectos a avançar na corrida aos fundos comunitários que se seguirão após o programa Portugal 20 20. O autarca valoriza a “educa­ção musical, de importância regional e nacional” e o valor arquitectónico para justificar uma intervenção num edifício com vários problemas. Será preciso esperar pelos fundos comunitários do próximo quadro comunitário, uma vez que o montante para a educação do actual programa, Portugal 2020, “é muito pouco”, afirmou Ribau Es­teves, lembrando ainda que, no caso da região, apenas foram contempladas obras em três escolas - duas de Aveiro e uma em Ovar. “Como não há dinhei­ro do Orçamento do Estado, usaremos os fundos comunitários”, explicou ao Diário de Aveiro.
Leia a notícia completa na edição em papel.