Jornal defensor da valorização de Aveiro e da Região das Beiras
Fundador: 
Adriano Lucas (1925-2011)
Director: 
Adriano Callé Lucas

“Cousas” para mercar entre a Sé e o Quebra


quarta, 13 junho 2018
Entre o largo da Sé Velha e o Quebra Costas há este sábado todo um cenário que proporcionará uma viagem ao tempo medieval. O “Barveiro”, o “Tabelião das Notas”, o “Pergaminheiro” e o Ourives, mostrando as profissões de então. Ou, já no campo das “cousas” de comer e de beber, as tendas das Regueifas de Santa Maria, das Viandas Doces ou da Santa Bebiana. Há ainda as tendas das Grinaldas, das Almoinhas, das Aves de Criação, das Viandas Abrasadas, bem como folguedo para os infantes e os almocreves, sem esquecer o trabalho ao vivo nas áreas da tecelagem, cestaria, esteiras, vassouras e colheres de pau. Há todo um ambiente de época que vai transformar a Sé Velha e o Quebra Costas numa Feira Medieval. Não será, assegura a organização, uma feira qualquer. «É uma das mais antigas do país, que celebra 26 anos de existência», sublinha, em comunicado, a Câmara Municipal de Coimbra que organiza o evento com a colaboração da paróquia da Sé Velha, dos Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra (SASUC) e do município de Montemor-o-velho. A Feira Medieval decorre entre as 9h00 e as 19h00, permitindo aos visitantes, destaca a autarquia, «entrar na atmosfera da época medieval, pelo contacto com os sabores, os aromas, os ruídos, os ofícios, a animação, os modos de vestir, recriado por centenas de figurantes».
Leia a notícia completa na edição em papel.